sexta-feira, 15 de maio de 2009

E volta o assunto naming rights...

O assunto "naming rights" volta a ganhar força por aqui. Especula-se que o Botafogo estaria negociando um acordo desse tipo para o Estádio Olímpico. Já não era sem tempo. Mas, é preciso muita calma e caldo de galinha. Quem imagina que o clube ganhará fortunas por isso, engana-se. Aqui na terrinha, como infelizmente a quase monopolista dos direitos de imagem de nossos clubes e competições não tolera mídia espontânea e qualifica qualquer prátiva de marketing como "merchan", esse tipo de contrato poderia ser mais demandado e consequentemente mais valorizado, gerando mais recursos para os clubes que possuem arenas atraentes. Como não é assim, as empresas não se interessam tanto, e os valores ofertados acabam sendo ínfimos.

Lá fora, como eles sabem o segredo do quanto operações de ganha-ganha favorecem o mercado esportivo como um todo, os clubes podem fazer contratos bem atrativos, e com isso gerar ainda mais recursos. Sorte do público de lá, que pode ir aos estádios e ver os melhores jogadores do mundo, enquanto nós ficamos discutindo "quais as medidas para evitar a migração de talentos brasileiros".
Essa semana na Inglaterra, a Carlsberg, que já patrocina o Liverpool há 18 anos (atualmente paga £7 milhões por temporada), informou que se interessa em negociar um acordo de "naming" para a futura nova arena do clube. Os proprietários americanos, que recentemente prorrogaram a quitação de um empréstimo contraído em 2007 por conta da aquisição do clube (£350 milhões, que vencem em Julho próximo), esfregam as mãos, vendo nesse contrato a salvação da lavoura.
Tendo como parâmetro o rival de londres, o Arsenal, que negociou o "naming" da sua arena com a Emirates por 13 anos a um valor de £100 milhões (com reajuste no oitavo ano), os americanos donos do Liverpool tentam convencer os dinamarqueses a pagar valores, no mínimo, semelhantes.

Abaixo, segue uma lista dos clubes ingleses que possuem contratos de "naming" em suas arenas:

Emirates Stadium (Arsenal)
Reebok Stadium (Bolton Wanderers)
Pirelli Stadium (Burton Albion)
Weston Homes Community Stadium (Colchester United)
Ricoh Arena (Coventry City)
Northern Echo Darlington Arena (Darlington)
Keepmoat Stadium (Doncaster Rovers)
KC Stadium (Hull City)
Walkers Stadium (Leicester City)
Britannia Stadium (Stoke City)
Liberty Stadium (Swansea City)
JJB Stadium (Wigan Athletic) [será renomeado DW Stadium no próximo verão]
KitKat Crescent (York City)

3 Comentários:

Às 15 de maio de 2009 16:43 , Blogger Lucas disse...

O que a imprensa faz com as tentativas de marketing dos clubes brasileiros é muita sacanagem. A Kiocera Arena, do Atl. Paranaense, sempre é chamada de Arena da Baixada. Se eu fosse a Kiocera pedia o dinheiro de volta.
E as coletivas filmadas com um close no nariz do sujeito pra não mostrar os patrocinadores ao fundo?
Falta inteligência à imprensa esportiva nacional.

Abraços!

 
Às 15 de maio de 2009 19:29 , Blogger Arenas & Estádios disse...

Lucas, parte da imprensa divulga o nome do patrocinador. A Globo é que entende que isso é "merchan" e vai continuar chamando de Engenhão até o fim dos séculos.
Obrigado por participar.

 
Às 30 de agosto de 2009 21:43 , Blogger Juventude Libertária disse...

Ao que me parece o interesse das empresas em dar altas quantias para nomear os estádios está diminuindo porque esse problema também ocorre (em partes) nos outros países também. Os estádios acabam ganhando um nome popular e a marca perde espaço

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial