sexta-feira, 13 de junho de 2008

A dura realidade das possibilidades "multiuso"

Acabo de ler uma notícia bem interessante. O Governo chileno negou autorização para um show da cantora Madonna no estádio Nacional, em Santiago, o que praticamente inviabiliza a passagem da turnê pelo Chile.

"Adoro a Madonna, mas a Madonna canta e vai. Eu gosto que a grama (do estádio) esteja a melhor possível. A grama fica e Madonna passa", respondeu o porta-voz do Governo, Francisco Vidal, ao ser perguntado sobre a recusa inicial do Subsecretariado de Esportes de liberar o local".

No ano passado, o gramado do Estádio Nacional foi estragado após uma série de shows de grupos internacionais e sua reparação, além de demandar um investimento milionário, obrigou que o local ficasse fechado durante vários meses.
Como tenho repetido aqui nos meus posts, as possibilidades de múltiplas utilizações de um estádio de grama natural, dependem do projeto da arena. Se o estádio foi planejado e construído com espaços e estrutura para abrigar convenções, feiras, exploração comercial, e entretenimentos diversificados, então ele será realmente multiuso. Infelizmente em terras tupiniquins, muitos "entendidos" , quando enchem a bôca com esse termo tão em moda, repetem a mesma tolice de imaginar que a grande qualidade multiuso de um estádio é a realização de espetáculos e shows em seu interior. O estádio Nacional é um estádio antigo, que não comporta aquelas atividades. Um dia, acharam que transformariam o velho estádio numa tal de arena multiuso e o resultado foi desastroso. Ainda bem que acordaram e perceberam que a prioridade maior é preservar as condições para a prática do futebol, que é a função a que se destina. Espero que o pessoal do Palmeiras tenha lido a notícia.

3 Comentários:

Às 14 de junho de 2008 10:05 , Blogger Aayla disse...

Procede!

 
Às 23 de junho de 2008 12:42 , Blogger Guilherme Mallet disse...

A utilização de estádios para shows pode ser util na Europa, que é destino confirmado de qualquer grande turnê internacional, o que não é o caso do Brasil.

Quantos shows de grande porte passam pelo Brasil por ano? Isso não é suficiente para tornar uma Arena lucrativa.

A existencia de espaços comerciais, camarotes com salas de reuniões, praça de alimentação... tu entra no conceito de "multiuso".

 
Às 23 de junho de 2008 17:23 , Blogger Arenas & Estádios disse...

Guilherme, mesmo nos estádios europeus, a média anual de mega shows musicais por estádio (com grama natural, claro), é de cerca de 5. Mais que isso o gramado não aguenta, até porque a época de plantio é outra e o inverno é rigoroso e castiga mais ainda a grama. Abraço.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial