sexta-feira, 5 de março de 2010

Mas e se por acaso...

Ontem, durante reunião/cobrança do Ministro do Esporte com os representantes dos comitês locais das cidades-sede, o secretario extraordinário de Porto Alegre, José Fortunati, informou que as obras no Beira Rio começarão assim que o Confaz conceder a isenção fiscal que o Inter postula (isenção fiscal na compra de material de construção).

Bem, mas o Inter irá esperar porisso até quando ? E se a isenção não for concedida ?

E mesmo que seja, isso deverá representar uma economia na aquisição de materiais de até no máximo 15%, mantendo o total de recursos necessários para as reformas em níveis superiores a R$ 150 milhões.

Será que o Inter tem como levantar esses recursos e tocar a obra em apenas 2 anos ?

Parece que realmente serão muitas emoções.

6 Comentários:

Às 6 de março de 2010 12:43 , Anonymous Roberto Pagliotto disse...

Boa Tarde Ricardo,

Em 1 lugar parabéns pelo blog que é muito atual e com notícias importantes!!!
Sou estudante do MBA em gestão e mkt esportivo da Anhembi Morumbi em SP e a minha monografia vai ser sobre arenas esportivas...Você sabe aonde posso encontrar artigos e matérias sobre arenas???
Quero fazer um levantamento das 3 últimas Copas e Eurocopas em relação aos estádios, o que aconteceram com eles???xe viraram elefantes brancos,rentáveis ou deficitários???

Desde já agradeço a atenção,

Roberto Pagliotto

 
Às 7 de março de 2010 21:05 , Anonymous Anônimo disse...

Nos últimos dias a imprensa aqui do RS falou bastante sobre isso. (http://www.correiodopovo.com.br/Impresso/?Ano=115&Numero=158&Caderno=0&Noticia=108100). A perspectiva da direção colorada é muito otimista! Sim, perspectiva, pois os recursos não existem! 20 milhões sairão da venda do antigo estádio dos Eucaliptos. Venda pretendida há anos... mas o ex-estádio está atrelado a diversas dívidas. Tem até processo de usucapião pela área. Os R$ 100 milhões restantes para concluir o projeto sairiam da venda antecipada de camarotes. Otimista, né? E os dirigentes dizem que as obras já começaram. Colocaram cinco pilares da cobertura. E são apenas testes. Isso me preocupa, afinal, a cidade pode ser até mesmo excluída da Copa se não cumprir os prazos da FIFA.

 
Às 7 de março de 2010 21:10 , Anonymous Anônimo disse...

Em contrapartida, o projeto da nova Arena do Grêmio - que não é o estádio da Copa e, por isso, não tem prazos a cumprir - segue em andamento. Segundo o jornal Zero Hora, a OAS (que construirá a Arena) espera que, no máximo, no dia 31/05 as licenças da prefeitura sejam liberadas. Depois disso, as obras podem começar. Segundo os donos da empresa, o início das obras não passa de junho. Além disso, diversas intervenções no entorno do novo estádio estão em andamento. Por exemplo: ampliação da avenida Voluntários da Pátria e construção da nova Rodovia do Parque (que terá uma ponte estaiada bem ao lado da Arena).

 
Às 8 de março de 2010 11:35 , Blogger Novas Arenas disse...

Roberto, em relação ao tema que vc propõs, acredito que o melhor seria pesquisar na internet, onde algumas matérias sobre o assunto foram publicadas (extraídas de jornais), incluindo inclusive os equipamentos olímpicos (que são muito mais preocupantes em termos de sustentabilidade do que estádios de futebol). Das últimas informações que disponho, os estádios da França são rentáveis, sendo que o único que não apresenta lucro, mas não chega a ser um elefante branco, é justamente o unico que foi construído para a Copa (Stade de France), já que os demais foram apenas reformados. Os da Ásia, alguns coreanos e alguns japoneses enfrentam dificuldades. Dos alemães, apenas o de Leipzig apresenta certa dificuldade. Alguns portugueses da Eurocopa realmente viraram paquidermes e se cogita inclusive demolir alguns. Já os da ultima Eurocopa, Suíça-Austria, todos estão bem, até porque alguns passam nesse momento por um processo de redução para adequá-los às reais necessidades (alguns foram erguidos em cidades muito pequenas). Abraço.

 
Às 8 de março de 2010 11:37 , Blogger Novas Arenas disse...

Anônimo, a saída para Porto Alegre é a mesma de São Paulo. Ou alguma alternativa começa a sair do papel o quanto antes, ou será um sufoco.

 
Às 14 de março de 2010 17:27 , Anonymous Roberto disse...

Ok.....
Muito obrigado pelas informações...

Um abraço

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial