terça-feira, 9 de março de 2010

O que realmente importa

Recentemente li umas avaliações sobre os estádios da próxima Copa e algumas comparações com a situação brasileira.

Entre várias delas, algumas sobre o Ellis Park me chamaram a atenção. A maioria avalia mal o estádio. Antigo (de 1962), mal cuidado (inclusive o gramado que está péssimo e necessita de replantio), e vários pontos inadequados, pelo menos em relação às recomendações de dona Fifa.

E justamente esse é o ponto que gostaria de abordar. Uns, comentam que o Ellis Park sofreu apenas algumas reformas burocráticas para "a Fifa ver". Outros, comentam com certa indignação que a dona Fifa está exigindo demais do Brasil, enquanto fecha os olhos para alguns estádios africanos.

E aí ? o que é mais importante ? projetar arenas que correspondam as necessidades do país e que representem uma transformação na infra esportiva local, ou apenas satisfazer a dona Fifa ?

Dona Fifa está preocupada apenas na embalagem do seu produto. Se a embalagem é a mais adequada, mais durável, mais economica, não interessa. Mas eu entendo que precisamos satisfazer, em primeiro lugar, as nossas necessidades, e dentro da nossa realidade.

Se a entidade recomenda que os estádios brasileiros tenham cobertura para o público, que ótimo. Se a entidade fecha os olhos a alguns estádios da África do Sul nesse quesito, ao contrário de reclamações, temos que tentar viabilizar esse avanço para o conforto de nossos torcedores. O Coliseu há 1940 anos atrás já se preocupava com o conforto do público e na proteção contra intempéries. Portanto, alguns de nossos estádios estão defasados 2 mil anos !!!

A África do Sul está construindo suas arenas na medida de suas possibilidades. Terá certamente 4 ou 5 arenas de altíssimo nível, e significarão um grande salto de qualidade no esporte daquele país. É possível que alguns se tornem "elefantes brancos" por falta de âncoras que os suportem, mas o real impacto dessas construções só deverá ser percebido dentro de alguns anos.

E é nisso que o Brasil precisa focar. Em proporcionar aos torcedores condições de apreciar os eventos com conforto e segurança, e aos clubes, condições de explorar um potencial imenso de novas receitas que serão fundamentais num futuro próximo. Construir arenas sustentáveis economicamente que sejam parte da solução e não causa de problemas.

Temos que aproveitar a Copa para revitalizar nossa infra esportiva, tornando-a a melhor que nossas possibilidades permitirem. Mas sem loucuras.

1 Comentários:

Às 11 de março de 2010 15:51 , Blogger Bruno disse...

Eu também li essa matéria, se não me engano no portal Copa 2014. O time de arquitetos da Copa 2014 ainda teve que ouvir dos organizadores locais (administradores, construtores e gerentes dos estádios sul-africanos), para que o Brasil esqueça a Dona Fifa. Eles disseram basicamente façam a Copa para o povo brasileiro e não para Fifa. Com base nos nossos organizadores, acho que virão mais alguns "elefantes brancos" por ai. Abraço!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial