segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Déficits na África do Sul

Semana passada foram divulgadas informações preocupantes sobre 2 dos novos estádios que estão sendo erguidos para a Copa 2010.
O Soccer City, em Johannesburg, que abrirá e encerrará a competição, e o Green Point, em Cape Town, estão sendo afetados pela crise econômica que se abate sobre as duas cidades, já que as arenas estão sendo financiadas em 100% pelos tesouros públicos.
O custo do Soccer, inicialmente orçado em US$ 310 milhões, saltou para US$ 440 milhões (ajuste de 42%), enquanto o segundo saltou para US$ 592 milhões (praticamente o dobro do custo orçado inicialmente).
Em ambos os casos, as municipalidades se esforçam em obter empréstimos adicionais para cobrir esses déficits e garantir a conclusão das obras. No caso específico de Cape Town, o porta-voz da prefeitura explicou que o custo total da arena será financiado em 30 anos, e coberto através do arrendamento do espaço para um gestor privado, da bilheteria da copa 2010, da venda dos naming rights a um patrocinador, e de fundos públicos federais e da província.
Bem, já que em 2014 será a nossa vez, o cardápio está servido. Alerto que apresentei o caso particular de apenas 2 das arenas. Existem outras 8.
Para vcs, a causa dos déficits foi:
a) Incompetencia de gestão
b) Desvio de verbas
c) Conjuntura mundial
d) Normal (todos os mega eventos da história passaram por isso)
e) Todas as anteriores
f) Nenhuma das anteriores

3 Comentários:

Às 15 de setembro de 2009 01:29 , Anonymous Anônimo disse...

Eu acho que foi a letra "e". E tudo junto.

Me permita uma critica. Lendo seus blogs tenho a impressao que estadio de futebol da prejuizo. E muito. E possivel reverter este quadro? Como? Vc bem que poderia dar exemplos de estadios rentaveis, que poderiam ser exemplos pras nossas futuras arenas.

Pedro

 
Às 16 de setembro de 2009 03:04 , Blogger Novas Arenas disse...

Pedro, o segredo para que um estadio seja rentável, é simples. O projeto precisa ser "bem nascido", ou seja, precisa ser bem concebido em alguns passos básicos antes de ser construído. Perguntas basicas como, quem utiliza,quem financia, se o modelo de negócio é o mais indicado, onde será erguido, quem serão os gestores do projeto, entre muitas outras, precisam ser bem respondidas. E isso não é nada simples. Arenas rentáveis existem centenas mundo afora, e apesar de concebidas em modelos distintos,possuem em comum o fato de estarem em sintonia com suas realidades (geograficas, financeiras, sociais, culturais etc). Acredito que precisamos de um modelo brasileiro, e que esse modelo não é o de "estádio de futebol". Se for construido dentro desse modelo, melhor arrendar um "estádio" público do que construir um próprio. Abs.

 
Às 30 de dezembro de 2009 21:33 , Anonymous fabio' disse...

Ao meu ver é erro no momento de estimar os verdadeiros custos das obras, pois isso, curiosamente, ocorrem em todos os lugares do mundo.

O "A mais" que ocorre no Brasil e África do Sul podem ser atribuídos à corrupçao, mas acredito que o principal erro seja a estimativa errada dos custos.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial